Category Archives: Parasha da semana

Parasha Bekhukotai

Parasha Bekhukotai

Bekhukotai Em minhas leis Lv 26.1-27.34 / Jr 16.19-17.14 / Mt 22:1-14         Na Parasha desta semana estaremos estudando os últimos aspectos e orientações que o Eterno dá aos filhos de Israel em Levítico. Moshe finaliza mostrando as duras conseqüências do conhecimento adquirido sobre o Eterno porém não obedecido pelo homem! O primeiro versículo nos diz o seguinte: “Não fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura, nem estátua, nem poreis pedra figurada na vossa terra, para inclinar-vos a ela; porque eu sou o IHVH vosso Elohim” (Lv 26:1). Aqui as determinações do Eterno são muito claras quanto a não ter outros deuses diante dele, pois o mandamento é para não fazer ídolos de maneira alguma! A palavra “ídolos” em hebraico é ‘ellim e significa “coisas de nada”; deuses de barro ou de terra-cota. Já o termo “imagem de escultura” em hebraico é pesel e significa “ídolo esculpido na pedra”. O termo “coluna” em hebraico é maççebhah e significa “alguma coisa em pé”; no caso de uma pedra memorial ou uma coluna, usada com propósitos idolátricos. O último termo refere-se a “pedra com figuras”, que em hebraico é maskith, significando “uma pedra esculpida ou pintada com uma figura ou imagem”. Percebemos aqui que este verso nos fala sobre qualquer tipo de idolatria que possa ser praticada pelo homem! Tudo aquilo que por ventura possa ter o

Read More

Parasha Behar

Parasha Behar

Behar No monte Lv 25:1–26:2 / Jr 32:6-27 / Lc 4:16-21         Na Parashá desta semana estaremos estudando sobre as palavras que foram dadas a Moshe pelo Eterno no Monte Sinai sobre o ano do jubileu e suas implicações proféticas. No princípio do capítulo está dito assim: “Falou mais o IHVH a Moshe no monte Sinai, dizendo: fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando tiverdes entrado na terra, que eu vos dou, então a terra descansará um sábado ao IHVH” (Lv 25:1-2). Aqui a palavra que define o Eterno em hebraico é o tetragrama (IHVH) e isso significa que o Eterno se apresenta como aquele que se torna aquilo que seus filhos precisem que Ele se torne. Algo interessante é que o Eterno não falou com Moshe em qualquer lugar, mas no monte. Aqui a palavra “monte” em hebraico é har e significa “colina, outeiro, região montanhosa, monte, montanha”. Na Síria e Palestina as montanhas eram adoradas e serviam de cultos pagãos. Veja que o Eterno se apresenta como IHVH e também numa montanha, mostrando aos seus filhos que ele é sempre a solução para qualquer que seja o problema apresentado mas é preciso que também os seus filhos entendam que Ele é o D-us das alturas e é justamente ali que Ele lhes dará a vitória! Enquanto os outros achavam que a montanha era um D-us,

Read More

Parasha Emor

Parasha Emor

Emor Dize Lv 21:1–24:23 / Ez 44:15-31 / Lc 14:12-24 Na Parasha desta semana estaremos abordando vários aspectos da Torah sobre os sacerdotes; sobre as coisas santas e também falaremos sobre as festas do Senhor. No início de nosso texto temos o seguinte: “Depois disse o IHVH a Moshe: Fala aos sacerdotes, filhos de Aharon, e dize-lhes: O sacerdote não se contaminará por causa de um morto entre o seu povo, salvo por seu parente mais chegado: por sua mãe, e por seu pai, e por seu filho, e por sua filha, e por seu irmão. E por sua irmã virgem, chegada a ele, que ainda não teve marido; por ela também se contaminará” (Lv 21:1-3). O diálogo entre o Eterno e Moshe tem início com a apresentação do Senhor através do tetragrama (IHVH)! Ou seja, novamente o Eterno se tornará aquilo que seu povo precisa que Ele se torne para eles! O Eterno diz que Aharon e seus filhos não deveriam contaminar-se por causa de um morto entre seu povo. A palavra “contaminar-se” em hebraico é tame´ e significa “ser (ficar) impuro, imundo”. Em sua raiz está também o termo tumâ que significa “impureza”. Ora, o que seria esta impureza? A impureza é justamente o contato com a morte, pois ao sacerdote havia sido delegado o ministério de ter contato com o Eterno – que é a

Read More

Parasha Kedoshim

Parasha Kedoshim

Kedoshim Santos Lv 19:1–20:27 / Am 9:7-15 / Mt 5:43-48         Na Parasha desta semana estaremos abordando alguns fatos que demonstram-nos que a qualidade de vida tem a ver com a santidade do homem! E neste contexto veremos vários mandamentos que, quando obedecidos, conduzem o homem a um padrão de santidade cada vez maior! Nosso texto tem início com as seguintes afirmações: “Falou mais o IHVH a Moshe, dizendo: Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Santos sereis, porque eu, o IHVH vosso Elohim, sou santo. Cada um temerá a sua mãe e a seu pai, e guardará os meus sábados. Eu sou o IHVH vosso Elohim. Não vos virareis para os ídolos nem vos fareis deuses de fundição. Eu sou o IHVH vosso Elohim” (Lv 19:1-4). A primeira coisa que notamos aqui é que o Eterno se apresenta para Moshe – e consequentemente também para o seu povo – como IHVH, ou seja, Ele é Aquele que se torna aquilo que seu povo precise que Ele se torne, Ele é a solução para qualquer problema que se apresente! Esta palavra deveria ser dita à toda a congregação dos filhos de Israel. A palavra “congregação” em hebraico é ´edâ e significa “assembléia, congregação, povo, multidão”. Esta palavra foi traduzida na Brit Hadasha como sinagoga! E há ainda algo mais, pois na raiz desta palavra

Read More

Parasha Ahare Mot

Parasha Ahare Mot

Ahare Mot Depois da morte Lv 16:1–18:30 /Ez 22:1-19 / I Cor 6:9-20         Na Parashá desta semana estaremos abordando o tema da morte. Ou seja, aquilo que aconteceu após a morte dos filhos de Aharon e os caminhos a serem seguidos agora pelo mesmo. Tudo começa com a seguinte menção: “E falou o IHVH a Moshe, depois da morte dos dois filhos de Aharon, que morreram quando se chegaram diante do IHVH. Disse, pois, o IHVH a Moshe: Dize a Aharon, teu irmão, que não entre no santuário em todo o tempo, para dentro do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca, para que não morra; porque eu aparecerei na nuvem sobre o propiciatório” (Lv 16:1-2). A primeira coisa que devemos atentar aqui é que o termo que define o Eterno em hebraico é o tetragrama! Novamente devemos esperar que o Eterno se torne aquilo que os israelitas precisariam que Ele se tornasse! No verso 2, novamente temos o tetragrama e uma orientação muito clara da parte do Senhor: que Aharon não entre no santuário em todo o tempo, para dentro do véu! Aqui a palavra “santuário” é qodesh e significa, “separação, santidade, sagrado, santuário”. Haviam outros locais no tabernáculo pelos quais Aharon e seus filhos poderiam transitar livremente! Em português falta uma palavra: bayit, palavra esta que precede o termo qodesh e que significa

Read More

Parasha Tazria

Parasha Tazria

Tazria (Semeai) Lv 12:1–13:59 / II Rs 4:42 – 5:19 / Lc 7:18-35         Na Parasha desta semana estaremos estudando sobre a lepra. Como ela surge e como é identificada na vida dos israelitas. É um fato relevante que a lepra na antiguidade era uma doença considerada como “incurável” e ela trazia muitas e trágicas consequências aos seus portadores, pois havia uma grande associação desta doença com o pecado. A concepção de um filho Esta parashá inicia-se mencionando as leis de uma parturiente com as palavras: “Se uma mulher concebeu uma semente…” O Midrash descreve o momento da concepção: O anjo encarregado da concepção é chamado Laila. Quando o Todo Poderoso deseja que nasça um ser humano, ordena ao Anjo Laila: “Traga-me esta ou aquela neshamá (alma) do Gan Eden!” A alma, entretanto, se ressente por ser desenraizada de sua Divina fonte, e reclama ao Todo Poderoso: “Sou pura e sagrada, conectada à Sua Glória. Por que é necessário que eu seja degradada entrando num corpo humano?” “Não é como diz,” D’us a corrige. “O mundo onde você viverá ultrapassa em beleza aquele de onde você emanou. Foi criada com o único propósito de tornar-se parte de um ser humano, sendo elevado pelos seus atos.” O Todo Poderoso em seguida ordena a alma fundir-se com a semente a qual estava destinada. Mesmo antes do feto estar formado, o

Read More

Parasha Shemini

Parasha Shemini

Shemini (Oitava) Lv 9.1 – 11.47 /II Sm 6.1-7.17 / Hb 7:1-19          Na Parashá desta semana estaremos estudando sobre o início do período sacerdotal – de fato – e também sobre os primeiros erros cometidos por homens que quiseram estabelecer o seu padrão sobre o padrão ditado pelo Eterno. Também veremos que o Eterno orienta o seu povo sobre o que Ele considera como “comida”, a fim de acrescentar-lhes uma nova dimensão em sua vida diária. Tudo tem início com a saída de Aharon e de seus filhos do Tabernáculo. “E aconteceu, ao dia oitavo, que Moshe chamou a Aharon e seus filhos, e os anciãos de Israel” (Levítico 9:1). É interessante notarmos que Moshe chama Aharon e seus filhos para fora da tenda da congregação justamente ao oitavo dia! O oito é o número da ressurreição, do novo recomeço. Percebemos isso já na criação, quando o Eterno Criou tudo em seis dias, ao sétimo descansou e no oitavo dia tem início as atividades de Adão no Paraíso! Ou seja, quando o ciclo de sete fecha-se, ao oitavo tudo inicia-se novamente. É quando, após o descanso, dava-se início a uma nova caminhada em todos os aspectos da vida. O reinicio revigorado, agora já com todas as potencialidades recuperadas no dia anterior (shabath). A revelação, a unção e a glória já vieram. Agora o novo homem se levanta

Read More

Parasha Tzav (Ordena)

Parasha Tzav (Ordena)

Tzav (Ordena) Lv 6.1–8.36 / Jr 7.21-9.23 / Hb 9:11-28         Na Parashá desta semana estaremos abordando o tema das leis pelos dos sacrifícios pelas várias modalidades de pecados. Veremos também qual foi a metodologia utilizada pelo Eterno a fim de que Ele pudesse consagrar homens para o ministério sacerdotal. O primeiro passo na questão dos sacrifícios é o sacrifício pelos pecados voluntários. Este tipo de sacrifício é descrito no versículo 2 em diante. Está escrito assim: “Quando alguma pessoa pecar, e transgredir contra o IHVH, e negar ao seu próximo o que lhe deu em guarda, ou o que deixou na sua mão, ou o roubo, ou o que reteve violentamente ao seu próximo” (Lv 6.2). A primeira coisa que percebemos aqui é que o Eterno define muito bem o que se passa com o homem. A tradução da palavra “pessoa” em hebraico é nepesh e significa “vida, alma, criatura, mente”. Já a palavra “pecar” em hebraico é hata´ e significa “errar, sair do caminho, pecar, tornar-se culpado”. Significa ainda “errar o alvo”, ficar aquém do padrão. A idéia que o texto transmite aqui é que o pecado é algo pensado, arquitetado pela mente e logo após é posto em execução pelo corpo! Isso tudo acontece primeiro à nível mental para depois transformar-se numa atitude! Veja que esse pecado é cometido “contra o Senhor” e a palavra

Read More

Parasha Vayicra

Parasha Vayicra

Vayikra (Ele chama) Lv 1.1–5.19 / Is 43.21–44.23 / Hb 10:1-18         Na Parashá desta semana estaremos iniciando o estudo no livro de Levítico e conhecendo os sacrifícios e cada uma de suas funções no culto ao Eterno. Nos diz a Escritura como e por que cada um daqueles sacrifícios deveria ser feito e qual seria a finalidade deles. D-us falara anteriormente no monte Sinai, não permitindo que ninguém se aproximasse; agora fala na tenda da congregação, da nuvem no propiciatório no Santo dos Santos, permitindo que o adorador se aproxime dele por intermédio das ofertas. O início do registro do livro diz assim: “E chamou o IHVH a Moshe, e falou com ele da tenda da congregação, dizendo” (Lv 1:1). A palavra chamar aqui em hebraico é qara que significa chamar, convocar, recitar. Já o termo que define o Eterno é o tetragrama – IHVH – que significa “Eu me torno aquilo que me torno”. Aqui Moshe ouve um chamado, uma convocação da parte daquele que se tornaria para ele aquilo que necessitasse! Nós sabemos que todo o chamado envolve uma missão e toda a missão tem um objetivo e qualquer objetivo que nos é dado pelo Eterno visa sempre o nosso bem e a própria glória de D-us! D’us chama Moshê para o Mishcan A Parashá Vayicrá começa quando o livro de Shemot termina. Talvez você

Read More

Parasha Vaykhel

Parasha Vaykhel

Vaykhel (E ajuntou) Ex 35.1–38.20 / I Rs 7:13-26 / Hb 9:1-11         Na Parasha desta semana estaremos estudando sobre o povo de Israel numa nova dimensão: aqui eles entregam as ofertas a fim de ser construído o Tabernáculo, lugar onde habita a glória do Eterno! Homens sábios são divinamente dotados de capacidade e sabedoria pelo Senhor a fim de executarem essa obra. Moshe descreve o Tabernáculo e seus utensílios, bem como o material do qual eram feitos e sua utilização. Vejamos então como o Tabernáculo foi detalhadamente construído para adoração do povo de Israel. A primeira atitude de Moshe nesta etapa foi a de ajuntar o povo: “Então Moshe convocou toda a congregação dos filhos de Israel, e disse-lhes: Estas são as palavras que o IHVH ordenou que se cumprissem” (Êx 35:1). Quando fala ao povo Moshe deixa explícito que aquilo que eles estão recebendo naquele momento não são meras palavras que devem ser esquecidas ou negligenciadas. Ele diz que “…Estas são as palavras que o IHVH ordenou que se cumprissem” e a palavra traduzida por “palavras” em hebraico é dabar e significa “falar, declarar, conversar, ordenar, prometer”.  Mas, quem havia dito “estas palavras”? Nossa tradução nos fala de “Senhor”, mas o hebraico nos informa que quem disso isso foi IHVH – tetragrama – ou seja, aquele que se torna aquilo que se torna. O Eterno agora

Read More