Mário Moreno/ Março 13, 2018/ Artigos

Na velocidade do pensamento

Todo o ouro que tinha sido usado para o trabalho em todo o trabalho do Santo o ouro da ondulação foi de vinte e nove talentos, 730 shekels, de acordo com o Santo shekel. A prata dos números da Comunidade foi de 100 talentos e 1775 shekels, de acordo com o Santo shekel (Shemos 38:24-25).

Há um princípio espiritual que “as bênçãos não podem ser contadas” que são elas não podem ser quantificadas. ” O Zohar pergunta: “como é possível contar os vasos do Mishkan? A resposta em termos enigmáticos é que “do lado esquerdo não pode ser contado, mas do lado direito Bracha – bênção é relevante!” O que no mundo isso significa?

O rabino Dessler ajuda a decifrar a mensagem e ao fazer ele revela um grande segredo. Não se preocupe, grandes segredos não correm o risco de se tornarem muito conhecidos. Podem ser gritados para fora ao mundo inteiro e contudo remanesceriam um segredo. A esquerda representa classicamente o lado mais fraco e o direito o mais forte. Não é tanto sobre forte ou fraco, mas sim sobre o Reino exterior e interior. Quando se trata do que é visível e o que pode ser contado que é o lado esquerdo. É a dimensão física das coisas. O direito é mais forte porque é eterno e incapaz de ser medido.

Há 88 teclas em um piano. Quantos tipos diferentes de músicas podem ser tocadas em um piano com 88 teclas? Eu acredito que a resposta é, “quase ilimitado!” (e se houver 613 teclas!? Essa é uma pergunta diferente.) As teclas do piano estão numeradas. Essa é a vista da “esquerda”. As formas infinitas de musicalidade que ele pode expressar e a resistência das composições que ele nascimentos é o estudo do lado “direito”. É o cumprimento do propósito para o qual este instrumento foi criado.

Reb Dessler explica que cada objeto ou entidade neste universo se grande ou pequeno, simples ou complexo, tem uma raiz acima e uma razão para ser que pode ser conectada a servir o criador. O Chovos HaLevavos, no portão de servir a D-us soletra que, em última análise, tudo o que fazemos é ou um mitzvah ou um Aveira, cumprimento de um mandamento divino ou uma violação! Como assim?!

Inicialmente, existem três áreas da vida. 1) Mitzvas que ocupam uma fatia Slim de nossos dias de trabalho. 2) há Aveiros – pecados que esperamos não são uma rotina em nossa programação. 3) então há a maior parte de nossas vidas que é chamado R’SHUS – neutro e capaz de ir de qualquer maneira.

R “Shus pode incluir dormir, ou comer, ou se vestir, ou exercitar, ou dirigir e ir para o trabalho. Eles não são Mitzvos e nem são necessariamente Aveiros.

Aqui estão as notícias chocantes. No final do dia, o Chovos HaLevavos afirma que existem apenas dois reinos. Aquelas oito horas de sono, aquelas duas horas de comutação, e todo o tempo e dinheiro gastado comer e beber estão conectados a sua fonte abençoada e inquantificável ou são por padrão contados entre o domínio finito do mundano, para serem empilhadas em nenhum lugar como a neve do ano passado.

A batalha real e furiosa da vida é o concurso para o território do “no meio”. Se alguém pode ligar o sono à necessidade de se levantar e servir HASHEM com uma mente atualizada, em seguida, oito horas foram capturadas. Se alguém pode comer para ganhar força para fazer Mitzvos então torna-se uma mitzvah, a alimentação e a comida em si. Mitzvos tem o poder de resgatar tesouros enterrados. Com estas lentes podemos ver como o mundo inteiro e toda a vida é um campo de oportunidade gigante e campo minado crivado de risco.

O filho de um homem muito rico uma vez me perguntou há muitos anos, “Qual é a visão da Torah sobre ter dinheiro? Eu disse a ele, “dinheiro é como estrume! (por favor, perdoe a analogia grosseira). Se está espalhado como fertilizante em um campo onde mitzvah foi plantada, pode realizar mundos! Se está apenas sentado em torno dele tende a feder!

A construção do Mishkan era de ouro e prata e coisas terrenas regulares. Estes são objetos banais. Uma coisa por si só é um saco de nada até que seja devidamente dedicado. Então, de repente, ele pode ser feito Santo, tão rápido, à velocidade do pensamento.

Tradução: Mário Moreno.