Mário Moreno/ Março 20, 2018/ Pessach

Nissan: retificando nossa fala

A Torah quando nos fala sobre o mês de Nissan é bem específica, pois diz: “Este mês [Nissan] será para vós o primeiro dos meses” (Shemot 12:2).

O comentário da tradição judaica complementa dizendo: Nissan começa, especificamente, o “período” (tekufá) da primavera. Os três meses desta tekufá – Nissan, Iyar, Sivan – correspondem às três tribos do acampamento de Iehuda – Iehuda, Issachar, Zebulun – que se situavam a leste). Na Torah, Nissan é chamado de “mês da primavera” (chodesh ha’aviv).

Então entendemos que Nissan é o mês do “recomeço”, pois na primavera a natureza “recomeça” seu ciclo de vida trazendo novamente beleza e perfume ao mundo.

Um outro fato muito interessante é que um outro aspecto deste mês são os muitos milagres que ocorrem nele. Vejamos o que nos diz a tradição judaica:

“Nissan é um mês de milagres (nissim). O fato de o nome Nissan possuir dois “nuns” sugere, segundo Nossos Sábios, nissei nissim – “milagres dos milagres.” Sobre a redenção do futuro é declarado: “Como os dias de vosso êxodo do Egito, Eu revelarei a ele maravilhas.” Na Chassidut, este versículo é explicado como significando que as maravilhas da redenção do futuro serão assombrosas e miraculosas, equivalentes aos milagres do Êxodo do Egito – “milagres dos milagres””.

Nestes mês temos a Festa de Pessach que nos fala sobre o grande milagre da libertação do povo de Israel do Egito. Segundo a história, nunca um escravo havia fugido do Egito, e em Pessach o Eterno resgatou pelo menos dois milhões e meio de pessoas de uma só vez! Então o Êxodo é chamado também de “tempo de grandes milagres”, e isso não é só, após a libertação do povo de Israel do Egito os milagres não mais cessaram até a entrada do povo em Canaã. E nós cremos que assim como naqueles dias grandes milagres ocorreram, veremos milagres equivalentes ao que eles viveram em nossos dias em nome de Ieshua!

A “fala” que faz diferença

A redenção é um processo milagroso e ela ocorreu por causa da ”fala” do Eterno dizendo que redimira Seu povo. A redenção, assim como tudo o que o Eterno faz é baseado na fala, na palavra que saiu de sua boca.

Mais uma vez a tradição judaica nos diz: O sentido da fala sugere a capacidade da pessoa de expressar seus mais profundos sentimentos e opiniões ao próximo. Todas as formas de expressão são referidas genericamente como “fala”. “Este mundo” (criado pela letra hei de Nissan) está baseado em comunicação (verbal). Personificando a sefirá de malchut (reino), é frequentemente chamado de “o mundo da palavra” (ou “o mundo revelado”). O próprio radical para “fala” significa também “liderar”. Assim, o sentido da fala é basicamente o sentido de liderança.

Então podemos concluir que é necessário tomarmos cuidado com a nossa fala em Nissan, pois as palavras são o combustível para que sejamos abençoados mas é também a razão para que o maligno possa ter acesso a nós por causa de nossas palavras…

A fala é instrumento de liderança e liderar é um chamado que ao mesmo tempo traz orgulho como também o peso e a responsabilidade de estar numa posição de destaque. Liderar significa que vamos ser mais vistos, significa que vamos ser mais questionados e cobrados! A fala leva alguns à liderança, mas esta mesma fala retira alguns de posição de liderança, trazendo consigo o comprometimento e a ruína… Palavras mal utilizadas matam e trazem desgraça para muitos enquanto que palavras sábias e transparentes geram credibilidade e sucesso!

As Escrituras são muito claras quanto ao que devemos ou não falar, mas em Nissan isso fica ainda mais proeminente pois neste caso a fala está ligada à redenção e a libertação! Nissan é tempo de sermos redimidos e libertos de nossas prisões e mazelas que nos acompanham desde que nascemos…

Por isso podemos afirmar que a base do mês de Nissan está relacionada não somente às Palavras e promessas do Altíssimo, mas também à nossa aceitação de tais palavras. A obediência é a materialização das palavras que foram ditas por cada um de nós; e obediência e a atitude que transforma vidas! A obediência julga a desobediência carregando consigo a bênção – para o obediente – e o juízo para o desobediente! E isso somente é possível por que em algum momento da vida alguém proferiu palavras que agora estão se materializando através do cumprimento e obediência ao Padrão do Etenro, que nos traz a vida Eterna.

Por isso nesta ocasião em que celebraremos Pessach devemos nos lembrar que a principal mitsvá do mês de Nissan, na noite do sêder, é a narrativa da história do Êxodo “quanto mais se narra o Êxodo do Egito, mais ele é louvável.” Esta é a principal mitsvá da fala de todo o ano.

A redenção do Egito (o estado existencial de “confinamento”, a incapacidade de expressar realmente a si próprio – “todos os exílios são referidos como Egito”) simboliza a “liberdade da fala”.

Seder: a fala que transforma

Na noite do Seder de Pessach a narrativa traz à memória não somente os atos redentivos do Eterno para com o povo de Israel, mas traz à tona, principalmente as Palavras que haviam sido ditas anteriormente e que profetizaram a redenção, a libertação e o início da caminhada do povo rumo à Canaã. Isso nos lembra que as palavras ditas pelo Eterno carregam consigo um poder tão grande que nada daquilo que Ele disse jamais deixou de se cumprir… E mais, pois tais palavras nunca foram ditas de forma aleatória ou casual, mas cada palavra que saiu da boca do Eterno tem propósito, finalidade e objetivos bem definidos. O que dizer de nós, que temos o Ruach há Codesh – Espírito o Santo – em nós e que devemos nos lembrar que nossas palavras certamente exercem poder não somente sobre a nossa vida como também sobre a vida de outros?

Que nesta festa de Pessach possamos entender que nossas palavras poderão redimir mas também poderão condenar; poderemos trazer bênçãos para muitos ou até mesmo poderemos afastar muitos da presença do Eterno causando dor e angústia.

Palavras que devem ser cuidadosamente pensadas e que em Nissan exercerão um profundo impacto na vida de nossos ouvintes. Esta é a finalidade de Pessach que trará juízo aos que desejam permanecer na desobediência como também trará muitas bênçãos – em todos os sentidos – aos que desejam obedecer e permanecer na obediência aquilo que veio da boca do Criador e que certamente fará diferença em nossa vida de forma definitiva.

Que nossas palavras sejam o diferencial nesta Pessach e que tudo aquilo que dissermos possa ser levado em conta para que possamos colher aquilo que plantarmos com nossas palavras e nossos atos de obediência diante do Eterno D-us de Israel.

Chag Pessach Sameach.

Mário Moreno.