O campo dos sonhos

Mário Moreno/ dezembro 7, 2017/ Artigos

O campo dos sonhos

“O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno” Mt 13:38.

O lugar onde os sonhos se tornam realidade – e portanto transforma-se no “campo” onde eles se manifestam – é o mundo. Ieshua ao contar uma parábola nos informa que “o campo é o mundo” e esta parábola nos fala acerca de dois reinos: o poder soberano do Eterno e o reino do maligno!

O que são os sonhos? Seriam eles somente uma “projeção” da mente humana e também a exteriorização dos mais íntimos desejos do ser humano ou eles seriam algo mais? A palavra “sonho” é halam e significa “sonhar”. Sua raiz vem de halam, que significa “ser forte, saudável”. Aqui aprendemos o quão necessários são os sonhos! São eles que alimentam nossa vida trazendo-nos a força e tornando-nos saudáveis! E os melhores sonhos são justamente aqueles que nos são dados pelo Eterno! Quando isso acontece, nós sonhamos os sonhos de D-us e isso torna nossa vida plena de esperança, pois sabemos que estes sonhos realmente se tornarão realidade!

Entendemos então que os sonhos além de serem “projeções” da nossa alma são também manifestações espirituais com a finalidade de fortalecer o homem em sua caminhada aos seus objetivos. Quem sonha busca nos sonhos uma motivação para que possa alcançar objetivos e alvos antes inalcançáveis! O sonho é sempre possível na mente de uma pessoa e pode ser também possível na realidade bastando que se trabalhe em busca dele com afinco!

Vamos verificar que os sonhos nas Escrituras não são somente uma “projeção” dos desejos humanos que são repassados à mente e se manifestam como “sonhos”; eles são também uma projeção dos desejos do Eterno para a vida dos homens e isso fica claro na indicação de que os sonhos relatados nas Escrituras cumpriram-se de forma cabal na vida de homens e nações e são portanto uma forma do Eterno dizer aos homens que os seus desejos estão expressos em cada sonho e que isso aponta para eventos futuros e que terão lugar em nosso planeta!

Vamos ver um exemplo disso nas Escrituras:

“E chegou a um lugar onde passou a noite, porque já o sol era posto; e tomou uma das pedras daquele lugar, e a pôs por seu travesseiro, e deitou-se naquele lugar. E sonhou: e eis uma escada posta na terra, cujo topo tocava nos céus; e eis que os mensageiros de Elohim subiam e desciam por ela; e eis que o IHVH estava em cima dela, e disse: Eu sou o IHVH Elohi de Avraham teu pai, e o Elohi de Itzhaq; esta terra, em que estás deitado, darei a ti e à tua descendência; e a tua descendência será como o pó da terra, e estender-se-á ao ocidente, e ao oriente, e ao norte, e ao sul, e em ti e na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra; e eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; porque não te deixarei, até que haja cumprido o que te tenho falado. Acordando, pois, Ia´aqov do seu sono, disse: Na verdade o IHVH está neste lugar; e eu não o sabia. E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Elohim; e esta é a porta dos céus. Então levantou-se Ia´aqov pela manhã de madrugada, e tomou a pedra que tinha posto por seu travesseiro, e a pôs por coluna, e derramou azeite em cima dela. E chamou o nome daquele lugar Beit El; o nome porém daquela cidade antes era Luz. E Ia´aqov fez um voto, dizendo: Se Elohim for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestes para vestir; e eu em paz tornar à casa de meu pai, o IHVH me será por Elohim; e esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Elohim; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo” Gn 28:11-22.

Será que nós já havíamos pensado que os sonhos das Escrituras são também esta “projeção” dos céus para a terra? O texto acima nos explica isso ponto a ponto.

Os sonhos dentro do sonho

A primeira coisa que este sonho nos diz é: o Eterno desejou reconectar os céus com a terra. Para dizer isso Ele usou a figura de uma “escada” que sai da terra e toca os céus. Isso é impressionante na medida que vemos que Ele deseja restabelecer entre nós a “normalidade” do trânsito entre estas duas dimensões. Chamamos de “normalidade” a ação que devolve à terra esta conexão que foi quebrada em Adam e que fez com que o Gan Éden não mais estivesse na terra. O pecado “quebrou” a conexão do espiritual e do físico separando assim o Criador e suas criaturas.

A segunda coisa que o Eterno sonhou foi usar Israel para que esta conexão se restabelecesse. Note que pelo texto o Eterno cita os patriarcas e Ele está falando com o terceiro patriarca da nação de Israel: Ia´aqov que teria seu nome mudado para Israel. Este fato traz consigo muita lógica pois o patriarca em questão se chamava “Ia´aqov” que significa “calcanhar do Eterno” e nós sabemos que o “calcanhar” é a fraqueza de uma pessoa, pois quando atingida nesta região do corpo, ela cai. O seu nome é mudado para “Israel” que significa “aquele que luta com o Eterno e prevalece”. O texto de Hebreus diz: “…da fraqueza tiraram força…” Hb 11.34. O Eterno toma uma aparente “fraqueza” sua e transforma num instrumento de guerra! Somente os guerreiros são usados para romper as grandes barreiras e transformarem o impossível em História!

A terceira coisa que o Eterno sonhou foi estabelecer Israel na terra de Canaã e a partir deste estabelecimento “abençoar todas as famílias da terra”! É notável que a bênção do Eterno venha através de Israel pois esta nação carrega consigo não somente as promessas como também o amor e a garra de obedeceram à Palavra do Eterno em sua plenitude e também transmitiram-na aos demais homens para que viessem a conhecer ao Eterno!

O quarto ponto é que existem lugares na terra que o Eterno sonhou designar como “portas dos céus”. Tais lugares são encontrados em todo o mundo, mas principalmente em Israel onde as pessoas poderiam de fato ter esta “conexão” estabelecida de uma forma mais ampla e rápida! Ia´aqov chama este lugar de “sha´ar ha shamaim” e o termo “sha´ar” significa “porta da cidade”. Era o meio de acesso controlado a uma cidade murada. Por isso vemos que de fato o Eterno não somente sonhou com esta conexão como também colocou nestes lugares – os portais dos céus – a possibilidade do homem fazer este “transito” da terra para com os céus!

O quinto aspecto deste sonho do Eterno é que Ele deseja mudar aquilo que o homem estabeleceu de acordo com a Sua Vontade. O lugar onde Ia´aqov estava chamava-se “Luz” que é a transliteração de uma palavra hebraica e que significa “desviar-se, apartar-se”. Alguém em algum momento da história daquele lugar denominou-o como um lugar de “desvio e afastamento” do Eterno. Mas o Eterno quer mudar a história e com o evento vivido por Ia´aqov Ele muda isso – através de Ia´aqov – trocando o nome do local para “Beit El” [Casa de El]. O termo “casa” nos fala de um espaço físico onde alguém mora. Então o Eterno sonhou “morar” na terra e um dos lugares que Ele escolheu foi justamente esse! Ali Ele tem o domínio total e é Senhor daquela “casa”.

O Eterno sonhou ter o homem sob seu governo – direção – e com Ia´aqov isso acontece e ele agora faz um voto ao Eterno pedindo-lhe as coisas essências para a vida a fim de que sua jornada seja recompensada com vitória. Em troca ele reconhece ao Eterno com seu Criador e lhe dá algo físico, material: o dízimo! Mas por que isso? Podemos dizer que o Eterno sonhou com o homem tendo uma postura de obediência à Ele e isso se expressa através de atitudes como essa. Ia´aqov demonstra através de suas palavras e atitudes que seu amor pelo Eterno é muito maior do que as demais pessoas imaginam, pois ele quer obedecê-lo inclusive honrando ao Eterno com seus bens materiais! Fácil e possível de ser feito.

Os sonhos concretizados

Mas – perguntamos – teriam estes sonhos do Eterno se concretizado na história da humanidade? As Escrituras nos mostram como e quando isso aconteceu.

O primeiro sonho do Eterno – reconectar os céus com a terra cumpriu-se com a vinda de Ieshua. Este é um aspecto interessante e também muito importante para a humanidade, pois assim como o “rompimento” dos céus com a terra deu-se através de um homem a reconexão também deveria obedecer a este mesmo padrão. A Escritura nos diz: “Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adan, assim também todos serão vivificados no Ungido” I Co 15:21-22. Esta palavra é tão impressionante que aponta para um evento – a morte de Ieshua – que trará vida à todos aqueles que estiverem vivendo sob o seu Senhorio. Não há como “fugir” disso, pois o pecado nos deu como “prêmio” a morte; Ieshua nos deu sua vida como um presente para a humanidade e com ela está também a salvação eterna do homem!

Sha´ul continua o raciocínio dizendo: “Assim está também escrito: O primeiro homem, Adan, foi feito em alma vivente; o último Adan em espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o IHVH, é do céu. Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial” I Co 15:45-49. A reconexão feita através de Ieshua – cumprindo um sonho do Eterno para a humanidade – trazia consigo na pessoa d´Ele esta “bagagem” espiritual que fora perdida por Adan quando da queda. Ieshua traz de volta ao homem a “imagem do celestial”, ou seja, Ele nos mostra como deveria ser o homem que vive em estrita obediência à Palavra do Eterno! Todos os seus atos e palavras estão em linha com os desejos do Eterno. Ele não faz nada para si; faz para aqueles que d´Ele necessitam e para cumprir seu chamado! O homem dos céus agora está na terra e a terra nunca mais foi a mesma depois disso…

O segundo sonho do Eterno de fazer a reconexão através de Israel cumpre-se quando Ieshua nasce em Beit Lechem – Casa de Pão [padaria] em Israel!

Quando isso acontece é como se o Eterno estivesse dizendo ao mundo: “Vocês se lembram do sonho de Ia´aqov?” Agora estou realizando isso reconectando os céus com a terra através da nação amada e do povo escolhido. O Ungido nasceu numa “padaria” em Israel. Um judeu que se denominará “o pão da vida!” Ele tinha de ser judeu para que o sonho de Ia´aqov se cumprisse, pois este homem veio a chamar-se Israel e nada poderia ser tão claro e óbvio como o Ungido ser judeu! Aos judeus – através dos patriarcas – o Eterno deu as promessas que agora estão se cumprindo diante dos olhos de crentes e incrédulos fazendo com que estas pessoas presenciem a transformação da profecia em história. Agora, um judeu nasceu para dizer ao mundo que o D-us de Israel prometeu e agora está cumprindo de forma clara e objetiva suas palavras de uma forma muito dinâmica: o Rei de Israel nasce imortal e nasce para também deixar o legado da imortalidade entre os homens! Ele deixa ao mundo uma Palavra que aponta para o dia em que todos os crentes n´Ele se tornarão imortais: “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?” I Co 15:51-55.

A tradição judaica diz a este respeito:

O que precede a chegada de Mashiach?

O Talmud descreve o período imediatamente anterior ao advento de Mashiach como uma época de grande conflito. Haverá uma recessão mundial e os governos serão controlados por déspotas. Será nessa situação problemática que se dará a vinda de Mashiach.

Há uma tradição de que ocorrerá uma grande guerra, chamada a guerra de Gog e Magog, e há muita especulação sobre a hora exata desta guerra em relação à chegada de Mashiach.
Há uma tradição de que o Profeta Eliyáhu virá ao mundo anunciar a chegada iminente do Mashiach. No entanto, segundo outras opiniões, Mashiach pode chegar sem ser anunciado. Eliyáhu viria então para ajudar no processo de paz. Alguns sugerem que se Mashiach chegar em seu tempo predestinado, então Eliyáhu anunciará sua chegada, mas se Mashiach vier de repente, então Eliyáhu aparecerá depois que Mashiach vier.
Como foi mencionado antes, não está claro quando exatamente estes eventos ocorrerão. No entanto, esta incerteza não afeta o tema geral da chegada de Mashiach.

Quando ocorrerá a ressurreição dos mortos?

Um dos princípios da fé judaica é a crença na ressurreição dos mortos. Segundo o Zôhar – um antigo texto cabalista – a ressurreição ocorrerá quarenta anos após a chegada de Mashiach. No entanto, determinados indivíduos justos se erguerão com a vinda de Mashiach. Todos os mortos ressuscitarão na Terra de Israel.

Há um pequeno osso no corpo chamado osso Luz (alguns o identificam como o cóccix), a partir do qual o corpo será reconstruído no tempo da ressurreição. Nossas preces diárias estão repletas de pedidos pela ressurreição e há muitos costumes conectados com isso.

O terceiro sonho do Eterno era estabelecer os judeus na terra de Canaã. Este sonho cumpriu-se com a conquista da terá por Iehoshua e depois da diáspora do ano 70 de nossa era Israel, volta ser uma nação em 1948. Este ato de “recondução” dos judeus à sua terra natal foi consequência de uma profecia registrada no livro do profeta Ezequiel em seu capítulo 37, onde ele afirma que depois de uma grande tragédia Israel voltaria a se juntar como uma grande nação! Mais uma vez o sonho do Eterno estava explícito nas Escrituras e muito não enxergaram…

Israel já é uma nação desde então e muitos “brigam” pelo “direito” de estarem naquela terra e a reclamam como sua própria possessão! Ledo engano… O Criador prometeu aos patriarcas e sonhou colocar Israel naquele lugar. As fronteiras da nação ainda serão ampliadas e os judeus serão cada vez mais a referência de todo o mundo. Por que? Por que o Criador sonhou assim…

O quarto sonho do Eterno era que lugares na terra fossem tidos como “portais dos céus”, ou seja, entradas que dessem acesso dos céus para a terra! Nós já citamos que Beit El é um destes lugares, mas existem outros. Só para citarmos mais três lugares em Israel: o local onde Ieshua foi imerso – é o mesmo local por onde Iehoshua entrou em Canaã; o Mar da Galil [Galiléia] e o Gólgota [Lugar do Crânio em Jerusalém]. Estes três lugares são de uma forma muito explícita portais que dão acesso dos céus para a terra. Certamente não podemos ver isso a “olho nu”, mas pessoas que assim como Ia´aqov estavam em comunhão com o Eterno já sabem que estes lugares pertencem à uma categoria de “portais dos céus”. Ali o trânsito é livre entre os céus e a terra. Os mensageiros do Eterno podem ter acesso ao nosso mundo físico de forma muito “natural” através destes portais.

Certamente outros lugares existem onde isso acontece, mas em Israel isso é muito mais “explícito” e as Escrituras comprovam isso de maneira a podermos afirmar que ali estão os portais.

O quinto sonho do Eterno é transformar os lugares antes “consagrados” ao adversário em território Seu! Isso acontece por que o homem consagrou lugares ao adversário e é necessário que se faça a retomada destes lugares – por isso há um confronto em andamento – e quando isso acontece temos então uma “mudança” do nome daquele lugar, que ao invés de promover desvio e o afastamento do homem de Seu Criador agora cooperará para que estas mesmas pessoas possam achegar-se ao Eterno e ali receberão sua presença e serão alcançadas pelo seu amor!

O sexto sonho do Eterno é poder trazer novamente o homem de volta à sua presença de tal forma que este “encontro” com o Criador faça com que o homem mude de atitude e possa então colocar o Eterno em primeiro plano em sua vida! Isso será realidade quando o homem dispuser de seus bens materiais ao serviço do Eterno. A maior luta do ser humano sempre foi na direção de “ter”. As pessoas tentam de todas as maneiras possíveis “acumular” riquezas, pois imaginam que assim terão uma vida boa na terra e quem sabe se forem “boazinhas” terão também uma vida assim na eternidade. Alguns julgam que seus bens lhe trarão segurança e livramento enquanto estão na terra.

O Eterno desejou e ainda deseja que o homem dependa d´Ele em todos os aspectos de sua vida. Isso faz com que haja um estreitamento de relações entre ambos e o Eterno pode então “aconselhar” ao homem sobre sua caminhada enquanto está na terra. A condição para isso está na obediência e também na submissão do homem ao Seu Criador.

Estes aspectos abordados aqui nos mostram que os sonhos do Eterno estão de fato explícitos nas Escrituras e estão inseridos dentro dos sonhos de seus servos relatados nas Escrituras.

A pergunta que fica é: “Será que os sonhos de D-us se realizarão?” A minha resposta pessoal é que “Sim, eles se realizarão”. Para que isso aconteça devemos prestar atenção ao que estamos vendo e vivendo em nosso dia a dia e devemos atentar para os sinais que Ele mesmo nos dá sobre os tempos em que vivemos. Um dia os sonhos do Eterno terão uma nova dimensão. Eles certamente sairão somente do terreno humano e irão para o terreno celestial para que o homem como sua criatura possa então crescer em tudo aquilo que é desejo do coração do Eterno para este ser, criado à Sua imagem e semelhança!”

Já cantava uma irmã crente no Ungido: “Os sonhos de D-us jamais vão morrer!”

Que o Eterno nos abençoe em nome de Ieshua!

Baruch há Shem!

Mário Moreno.