Mário Moreno/ Maio 11, 2018/ Artigos

O Eterno quer uma Casa?

Templos… qual é a sua importância para os servos do Eterno? A reposta é: muito grande, pois somente ali pode-se reunir as pessoas para que juntos possam servi-lo. Mas nem todos concordam com isso; para alguns o “templo” é desnecessário, inclusive argumentando que o Eterno nunca pediu ao seu povo que se construísse um! Mas onde está a verdade nisso?

Será que isso encontra respaldo nas Escrituras?

Precisamos buscar, em primeiro lugar as informações que Moshe e os demais judeus deixaram registradas no que diz respeito a isso.

  • Este edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu reino para sempre” II Sm 7.13.
  • “Bem sabes tu que Davi, meu pai, não pôde edificar uma casa ao nome do IHVH seu Elohim, por causa da guerra com que o cercaram, até que o IHVH os pôs debaixo das plantas dos pés” I Rs 5.3.
  • E eis que eu intento edificar uma casa ao nome do IHVH meu Elohim, como falou o IHVH a Davi, meu pai, dizendo: Teu filho, que porei em teu lugar no teu trono, ele edificará uma casa ao meu nome” I Rs 5.5.
  • Assim confirmou o IHVH a sua palavra que tinha dito: porque me levantei em lugar de Davi, meu pai, e me assentei no trono de Israel, como tem dito o IHVH; e edifiquei uma casa ao nome do IHVH, o El de Israel” I Rs 8.20.
  • Eis que estou para edificar uma casa ao nome do IHVH meu Elohim, para lhe consagrar, para queimar perante ele incenso aromático, e para o pão contínuo da proposição, e para os holocaustos da manhã e da tarde, nos sábados, e nas luas novas, e nas festividades do IHVH nosso Elohim: o que é perpetuamente a obrigação de Israel” II Cr 2.4.
  • Também Davi meu pai teve no seu coração o edificar uma casa ao nome do IHVH, El de Israel” II Cr 6.7.
  • Porém o IHVH disse a Davi meu pai: Porquanto tiveste no teu coração o edificar uma casa ao meu nome, bem fizeste, de ter isto no teu coração” II Cr 6.8.

 

Observe agora, primeiramente, como era o padrão entre os primeiros seguidores de Ieshua:

“Como não me esquivei de vos anunciar coisa alguma que era proveitosa e de vo-la ensinar publicamente, e de casa em casa” (At 20:20).

Os primeiros seguidores de Ieshua se reuniam nos lares, e nunca houve ordem do Eterno para que construíssem ou adquirissem nenhuma casa. E sabe por que eles faziam assim? O motivo era simples: eles já tinham o Templo de Shlomo e também as sinagogas.

Mas, onde tudo isso começou? Moshe ouviu do Eterno as seguintes palavras: “Então falou o IHVH a Moshe, dizendo: fala aos filhos de Israel, que me tragam uma oferta alçada: de todo o homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomareis a minha oferta alçada. E esta é a oferta alçada que tomareis deles: ouro, e prata, e cobre, e azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino, e pêlos de cabras, e peles de carneiros tintas de vermelho, e peles de texugos, e madeira de cetim, azeite para a luz, especiarias para o óleo da unção, e especiarias para o incenso, pedras sardônicas, e pedras de engaste para o éfode e para o peitoral. E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus vasos, assim mesmo o fareis” Ex 25.1-9.

Quando o Tabernáculo foi construído houve um sentimento de união entre os judeus que trouxeram com alegria aquilo que foi pedido para que o Tabernáculo fosse construído.

Logo após, Moshe em seu discurso declara que: “Mas o lugar que o IHVH vosso Elohim escolher de todas as vossas tribos, para ali pôr o seu nome, buscareis para sua habitação, e ali vireis” Dt 12.5.

Estas palavras deixam claro que o Eterno escolheria dentre as tribos um lugar onde Ele estabeleceria uma “habitação” e esta seria o Templo que seria construído em Jerusalém. David desejou fazer isso, mas foi impedido e quando disse a Natan HaNavi (o profeta) que desejava construir uma Casa para IHVH, a resposta dada pelo IHVH foi:

Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então farei levantar depois de ti a tua semente, que sair das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino. Este edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu reino para sempre. Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho: e, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens. Mas a minha benignidade se não apartará dele; como a tirei de Saul, a quem tirei de diante de ti” II Sm 7.12-15.

Isso nos mostra que o Eterno desejou que Shlomo – cujo nome significa “Pacífico” – lhe edificasse uma casa, conforme Ele já havia dito a Moshe!

Então, como tendo um padrão, é isso que dizem os líderes atualmente. Eles dizem que “construir um templo” procede do Eterno.  Vemos, através da história, que os templos sempre foram locais onde o povo do Eterno se reuniu – sejam em sinagogas, congregações ou igrejas – mas sempre foi necessário ter um local físico para que as “habitações” móveis do Eterno pudessem ajuntar-se.

E isso, mais uma vez é confirmado pela narrativa bíblica, pois Estêvão diz:

“Shlomo, porém, edificou-lhe uma casa. Mas o Altíssimo não habita em casas feitas por mãos; como disse o profeta: O céu é o meu trono, E a terra o escabelo dos meus pés; que casa me edificareis, diz IHVH, Ou qual é o lugar do meu repouso? Não fez, porventura, a minha mão todas estas coisas?” (At 7:47-50).

E no restante das Escrituras temos isso confirmado quando Ieshua diz:

“Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” (Mt 18:20).

Durante toda a história dos judeus e do judaísmo sempre houve a necessidade de ter-se um lugar de reunião. Vejamos o que a história nos diz sobre isso:

A Sinagoga

“Qualquer comunidade habitada pelo menos por dez judeus adultos deve ter um local designado onde possam se reunir para a prece. Este local é chamado de sinagoga (Beit Knesset). O termo yidish é shul. Habitantes de uma cidade pequena podem se reunir para construir uma sinagoga e comprar um Sêfer Torá e outros livros sagrados. Os membros devem incentivar e persuadir uns aos outros a comparecer aos serviços.

Uma sinagoga pode ser um prédio ou sala reservada para a prece. Este sempre foi e ainda permanece sendo seu propósito fundamental. Mesmo assim, em toda a literatura rabínica, apenas uma vez (Gitin 39b) foi mencionada como uma Casa de Prece (Beit Tefilá). Desde seu início, após a destruição do Primeiro Templo em 596 AEC, até os dias de hoje, tem sido geralmente chamada de Beit Knesset, que significa literalmente Casa de Assembleia, ou Casa de Reunião”.

Um Adendo de Grande Importância

Já que o assunto foi abordado, é importante também fazer um adendo. Assim como acontecia no passado, hoje o início de qualquer congregação/sinagoga/igreja se dá primariamente dentro dos lares, onde pessoas se reúnem para estudarem as Escrituras, orarem e terem comunhão entre si. Conforme o modelo da Brit Hadasha e é isso que cria vínculos entre estas pessoas e faz com que Ieshua possa então operar e mostrar sua glória.

Já foi visto que o Eterno pediu do seu povo que estabelecesse um local de reunião. Novamente, fica a observação para que ninguém entenda equivocadamente: temos nas Escrituras, a existência de um local fixo de reunião. Isso começou com o Tabernáculo e depois foi para o Templo. No Cativeiro Babilônico surgem então as Sinagogas e quando o povo retorna à terra elas se espalham por todo o país. Por isso, se você foi abençoado com essa oportunidade, alegre-se no Eterno. Porém, essa não pode ser jamais uma condição para que se inicie uma kehilá (assembleia) de pessoas que creem em Ieshua – uma congregação pode começar dentro de um lar, – nem se pode pensar que a santidade ou a importância está no local, e não na reunião das pessoas.

Serei direto aqui, e peço perdão por ter que sê-lo, mas determinadas ocasiões pedem palavras um pouco mais firmes: Se você está numa situação de aguardar que um trabalho seja levantado ou seja feito na cidade em que você está, para que então você possa ir a um local de reunião, então você não está agindo em conformidade com as Escrituras. E quando não agimos em conformidade com as Escrituras, sequer adianta orar pedindo que o Eterno mude a situação. Nos tempos bíblicos, não apenas as pessoas se reuniam nos próprios lares, como ainda tinham bem menos recursos para fazê-lo. Nem mesmo o acesso às Escrituras era algo trivial. Portanto, comece a se reunir em sua própria casa, com sua família, seus vizinhos, ou qualquer pessoa que more próximo a você. E se você estiver sozinho, comece mesmo sozinho, e peça ao Eterno que encaminhe pessoas para que possam caminhar com você. Para que possamos melhor andar no Caminho de Ieshua, é preciso desenvolver maturidade na leitura e estudo das Escrituras, e nos libertar dos jugos a que estamos viciados. Mas devemos nos lembrar sempre de que com o crescimento abandonaremos nossas casas e iremos para um local de reunião – templo – onde então teremos condições de reunir-mos para juntos servirmos a Ieshua!

Baruch Há Shem!

Adaptação: Mário Moreno.