Shofar

Mário Moreno/ dezembro 1, 2017/ Artigos

Shofar

Shofar é considerado um dos instrumentos de sopro mais antigos. Somente a flauta do pastor – chamada Ugav, na Bíblia – tem registro da mesma época, mas não tem função em serviços religiosos nos dias de hoje. Esta palavra vem da raiz “shapar” que significa “ser agradável” e traz consigo outras raízes que são: – sheper que significa “beleza” – shiprâ que significa “clareza, limpeza”; – shaprur que significa “dossel”.

O shofar não produz sons delicados como o clarim moderno, a trombeta ou outro instrumento de sopro, mas para os judeus, o shofar não é apenas um instrumento “musical”. É um instrumento tradicionalmente sagrado.

Na tradição judaica, lembra o carneiro sacrificado por Avraham (Abrão) no lugar de Itschac (Isaac) através da história da Akedá (amarração de Itschac), lida no segundo dia de Rosh Hashaná.

Ocasiões em que era tocado

Nos tempos antigos, o shofar era usado em ocasiões solenes. A palavra shofar é mencionada pela primeira vez em conexão à Revelação Divina no Monte Sinai, quando “a voz do shofar era por demais forte e todo o povo do acampamento tremeu“. Assim, o shofar em Rosh Hashaná (ano novo judaico) tem o dever de lembrar aos judeus suas obrigações para com seus serviços religiosos.

O shofar também era tocado durante as batalhas contra inimigos perigosos. Portanto, o shofar de Rosh Hashaná serve como um grito de guerra contra o inimigo interior, impulsos maus e paixões.

Isso nos remete a um fato: o shofar representa então a voz do Eterno, ou seja, cada vez que o shofar é tocado é como se o Eterno estivesse falando com aqueles que ouvem a este toque! Isso ocorre tanto a nível humano quanto a nível espiritual, ou seja, a mensagem do shofar atinge inclusive o mundo espiritual dando-lhes ordens para que o homem possa ser beneficiado através deste toque.

Quando falamos do shofar como sendo a voz do Eterno poderemos então associar este fato às raízes das palavras hebraicas que a acompanham e descobriremos fatos ainda mais relevantes acerca desde instrumento.

Vamos a elas:

A primeira raiz é a da palavra “shapar” que significa “ser agradável”. Quando ouvimos a voz do shofar – e consequentemente estamos ouvindo a voz do Eterno – o que ouvimos e sentimos é algo “agradável” e suave. Nada há de ríspido ou duro na voz que ouvimos. O objetivo desta voz não é e nos assustar, mas sim produzir efeitos benéficos em nossa vida curto, médio é longo prazo. Esta “voz” ficará gravada em nossa mente por toda a nossa existência e esta voz nos guiará pelo caminho em que devemos andar. O que é agradável fica gravado em nossa alma e a mente traz à tona produzindo sensações de prazer; o que é desagradável a mente tenta apagar e quando isso vem à tona provoca uma sensação ruim em nosso ser. Quando ouvimos o shofar devemos sentir-nos bem; esta voz deve atrair-nos, pois a reconhecemos como a voz de nosso Criador e Senhor.

Na segunda raiz a palavra é “sheper” que significa “beleza”. Mas a que tipo de “beleza” nos referimos? Certamente não é uma beleza visível, mas sim algo que é invisível e que perpassa a alma com sentimentos e pensamentos belos e agradáveis. A beleza da alma se revela quando ela está em perfeita conexão com o Eterno e quando isso se reflete em nosso dia a dia. Novamente, esta é uma beleza invisível, porém é algo que pode ser sentido em cada ato de nossas vidas! O toque do shofar agrega isso à nossa alma, pois ele traz consigo a presença do Eterno e é justamente esta presença que “completa’ nossa vida restaurando-nos.

Na terceira raiz a palavra é “shiprâ” que significa “clareza, limpeza”. Quando ouvimos o shofar temos a certeza de que ouvimos algo claro e limpo, sem qualquer chance de uma interpretação errônea daquilo que estamos “ouvindo” do Eterno. Como ouvimos a voz do Eterno? Uma das formas é através de Sua Palavra e o que temos recebido d´Ele em Sua Palavra é algo que está explícito e claro. Ninguém poderá no futuro dizer que não entendeu o que estava Escrito, pois a mensagem é clara e limpa! Uma outra forma de ouvirmos isso é através do Ruach há Codensh – Espírito o Santo – que fala conosco pois mora, reside em nós. E mais uma vez, quando Ele fala conosco suas palavras são claras e definitivas. Nada é dito de forma a deixar dúvidas ou más interpretações. Assim é com o shofar, pois quando o ouvimos vem o esclarecimento e a clareza daquilo que já tínhamos de conhecimento e das palavras do Eterno. Então o shofar traz consigo também uma revelação dos desejos do Eterno para o homem!

Na quarta raiz a palavra é “shaprur” que significa “dossel”. Mas o que é um dossel? Vamos á sua definição: “armação saliente, forrada e franjada, que se coloca como ornato sobre altares, tronos, camas, etc…” Então o dossel é nada mais que uma “cobertura” para o homem. Isso nos lembra que quando há um toque do shofar o Eterno está “cobrindo” o homem através de Sua voz – Sua Palavra – protegendo-o assim a partir da cabeça até os pés! Por isso entendemos que a “cobertura” é dada pelo Eterno para o homem e na opor um homem a outro. Só pode “cobrir” alguém quem esteja acima desta pessoa e quem está acima do homem é justamente o Seu Criador, ninguém mais. Por isso o shofar é tocado em Rosh Hashana (Ano Novo); é ali que se definem os objetivos do próximo ano e nada melhor que começar o Ano com uma cobertura do Eterno para este período do que começar “descoberto”.

Estas são características do shofar em sua forma etimológica; são as ligações que existem nas raízes da palavra no idioma original. Um detalhe final para termos uma dimensão ainda mais extensa do shofar: quando fazemos a guematria desta palavra obtemos os resultados de: 586 que alcança 19 (5 + 8 + 6) e que finalmente termina reduzido à 10 (1 + 9). Nós sabemos que o número dez está ligado à palavra “keter” que significa “coroa” e sabemos também que um os objetivos do shofar é despertar o homem para ouvir a voz do Eterno a fim de que ele possa caminhar ao lado de Seu Criador e consequentemente receber a Coroa da Vida Eterna, que já está preparada para todos aqueles que amam ao Eterno. Esta coroa é recebida através de nossa conexão com Ieshua o Ungido!

Ouça o toque do shofar e aguarde, pois em breve este mesmo shofar soará anunciando a vinda do Ungido do Eterno para buscar seu povo!

Mário Moreno.