De que lado estamos?

Mário Moreno/ setembro 6, 2017/ Fatos históricos

De que lado estamos?

No recente conflito que ocorre no Oriente Médio entre Israel e os palestinos, existem duas opiniões vigentes: a primeira é que Israel com todo o seu poderio militar e bélico está “massacrando” os palestinos que, além de não possuírem um “estado” não sendo então uma nação, não possuem também um exército e armas à altura para o combate!

Desta primeira opinião compartilham a maioria das nações do mundo e também os ditos “especialistas” que inclusive comentam nas grandes redes de televisão e jornais acerca do assunto! Conforme a opinião destas pessoas, Israel está “agredindo” aos palestinos que, sem terem uma proteção maior, sofrem muito e também tem um número maior de mortes entre eles.

Ainda segundo estes especialistas, existe uma grande possibilidade dos países chamados “árabes” – e que compõem a conhecida “Liga Árabe das Nações” – se aliarem aos palestinos, tomando assim partido com eles – os palestinos – na sua luta por um estado Palestino e com a capital em Jerusalém! Isso demonstra que há uma aliança entre os árabes, aquilo que chamamos de “conspiração” para a derrota de Israel! Estes chamados países da “Liga Árabe” tem ajudado e até mesmo financiado projetos que visam a total derrota de Israel e consequentemente a sua aniquilação! Alguns dos vizinhos dos judeus estão até mesmo “treinando” crianças para colocá-las na frente de batalha a fim de incitar o mundo contra Israel, pois quando os soldados judeus forem recebidos – ou até mesmo atacados – por estas “crianças” e também com tiros de suas armas, eles certamente haverão de revidar e em consequência disso muitas destas crianças morrerão! Então será o momento em que os palestinos haverão de “mostrar” ao mundo que os soldados judeus massacram as crianças palestinas! Então será dito sobe os judeus que eles são cruéis e não respeitam nem mesmo crianças que são brutalmente mortas! A mídia mundial mostrou isso já várias vezes, não somente na televisão como também em jornais.

Este processo já está em andamento e muito em breve nós veremos tais notícias em nossos jornais e revistas em todo o planeta!

Mas há também o outro lado da questão, aquilo que diz respeito aos judeus e ao início deste conflito.

Tudo começou com a visita de um dos políticos judeus ao Monte do Templo. O nome deste homem é Ariel Sharom. Ele foi a um local que está sob o domínio – autonomia – dos judeus, apesar de ali existir uma mesquita muçulmana! Isso foi tomado pelos palestinos como uma “provocação” e então teve início o conflito! Devemos ainda salientar que os judeus, a fim de implementar o acordo de paz com os palestinos, cederam-lhes toda a terra que lhes foi exigida. Em contrapartida, havia a promessa por parte da Autoridade Palestina – Yasser Arafat – de uma não agressão contra os judeus. Esta parte do acordo até o presente momento não foi cumprida!

Outro detalhe importante é sabermos que os judeus estão somente contra-atacando. Quando recebem o ataque dos palestinos, o exército de Israel certamente reage – mas ainda não à altura daquilo que vem sendo feito – no entanto, muito palestinos estão morrendo em consequência destes contra-ataques. Esta atitude de Israel tem sido duramente criticada pela mídia mundial, pois para eles os judeus deveriam ser atacados sem direito de defesa! Quando os judeus, dentro de seu direito à defesa, reagem, a mídia mundial condena-os por defenderem-se! E isso beira ao absurdo, pois em qualquer lugar do mundo existe o direito à vida e a auto-preservação. Em qualquer lugar do mundo isso é plenamente possível – e legal -, menos quando se trata dos judeus. Foi assim durante toda a história da humanidade, não seria diferente agora!

Esperávamos que pelo menos houvesse imparcialidade por parte da imprensa e da comunidade mundial quanto ao direito de Israel à defesa de sua soberania nacional! O mundo em geral – com raras exceções – está se posicionando ao lado das nações árabes e contra Israel! Mas, qual seria o motivo para que isso aconteça assim? Será que o petróleo dos árabes faria tanta falta ao mundo? Será que a economia mundial depende tanto assim destas nações árabes? A resposta é não!

Neste momento histórico que a humanidade vive queremos conclamar à todos a uma tomada de posição! Nós sabemos que Israel é uma “pedra” no sapato das nações árabes por muitos motivos, e um deles é por que a nação de Israel conseguiu, em 50 anos de existência, um progresso muito maior do que as nações vizinhas em séculos de trabalho duro! Certamente isso preocupa os vizinhos de Israel que sabem estarem inferiorizados em tudo quando comparados à Israel! O jovem vizinho é melhor em tudo!

Nós que somos, além de judeus também “amigos de Israel”, conclamamos à toda a comunidade internacional a uma tomada de posição contra esta barbárie que é insuflada pelas nações árabes contra Israel e também de uma manifestação de apoio – visível – pró-Israel.

Este é o momento de orarmos pela paz de Jerusalém: “Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam” Sl 122.6 e também de nos unirmos pela causa daquele que certamente vencerá – Israel! Nós bem sabemos que o Eterno sempre lutou e sempre lutará por Israel e que todos os inimigos de Israel jamais prevalecerão contra a nação Amada!

Manifeste seu amor por Israel enviando mensagens de apoio às organizações israelitas e também se solidarizando com os judeus pela sua causa – a manutenção do Estado de Israel – causa esta que lhes é facultada pelo próprio D-us e portanto inquestionável!

Que assim seja e que nós – aqueles que somos judeus e todos os que amam Israel – possamos a uma só voz (e em unidade) orarmos para que Israel novamente seja vitorioso nesta luta por sua sobrevivência!

Que o Eterno nos Abençoe!

Mário Moreno.